Seguindo o caminho micelial

Paul Stamets transformou sua curiosidade adolescente sobre cogumelos em um caminho singular, que o levou não só a se tornar um expoente da micologia, empresário e autor, mas que também o colocou em uma viagem pioneira de descoberta.

Stamets tem sido um dedicado ministro, emissário, e evangelista dos fungos por mais de quatro décadas. Logo no início, ele reconheceu que eles eram muito mais do que frutos proibidos ou ingredientes culinários. Para ele, os fungos e as redes de filamentos subterrâneas do micélio a partir do qual eles brotam (e que Stamets costuma chamar de “Internet natural da Terra“) são poderosos presentes da natureza que detêm os segredos para a cura de uma infinidade de males médicos e ambientais. Ele fez de sua missão,  não apenas descobrir esses segredos, mas para por fim a cegueira e preconceitos que os humanos têm para com cogumelos, o que ele chama de “mycophobia”, que impede as pessoas de compreender o quão crucial para a nossa sobrevivência são estes organismos humildes sob nossos pés.

Eu comecei virtualmente sem nenhum dinheiro. eu apenas segui meu coração e minha paixão.”

– Paul Stamets

paul-stamets

As descobertas de Stamets no laboratório e no campo asseguraram a sua reputação como um cientista visionário e comprovaram que as tecnologias à base de cogumelos podem ser implantados para resolver uma série de desafios, incluindo a limpeza de toxinas e poluentes (micoremediação , biorremediação), o controle de pragas de insetos (micopesticidas), restauração de habitats (micorestauração), e combatendo problemas de saúde humana (micomedicina).

mushroomAo longo de sua carreira, ele foi premiado com nove patentes (e com várias outras ainda pendentes) por desencadear uma série de propriedades benéficas de cogumelos. Ele descobriu quatro novas espécies, inclusive uma no campus da Evergreen, e escreveu dúzias de artigos científicos e seis livros, incluindo textos definitivos sobre a psilocibina, sobre os “cogumelos mágicos” e sobre o cultivo, identificação e utilização de espécimes para usos medicinais e culinários.

Seu mais recente tratado “Mycelium Running: Como os cogumelos podem ajudar a salvar o mundo”, descreve as aplicações dos fungos para reparar e restaurar a saúde em ambos os níveis pessoais e ecológicos. SeuTED Talk de 2008, “6 maneiras para salvar o mundo com cogumelos”, que difundiu sua visão amplamente pelo mundo: Tem sido visto mais de 2,5 milhões de vezes desde que foi postado online.

Stamets é tão apaixonado por cogumelos e micélios hoje como ele era quando estudante da Evergreen na década de 1970. Foi quando ele mergulhou no estudo da micologia junto com o membro do corpo docente Michael Beug, identificando diferentes espécies, maravilhando-se com as suas células, trazendo à tona as suas propriedades químicas, e documentando suas formas ampliadas com o microscópio eletrônico da faculdade. Este último, disse ele, “me mostrou o mundo oculto, que era invisível. Ter acesso a esta bela paisagem nas dimensões microscópicas foi incrivelmente tentador para mim.

As investigações científicas que ele promoveu, desde que deixou a Evergreen foram financiados em grande parte pelos lucros da Fungi Perfecti, a empresa fundada por ele em Kamilche Point, Washington. Logo depois de se formar com o seu título de bacharel. “Comecei virtualmente sem nenhum dinheiro”, disse ele. “Eu apenas segui meu coração e minha paixão.

Hoje, ele e sua esposa, Dusty Yao, dirigem o próspero negócio, que tem 65 funcionários e produz cogumelos para culinária e suplementos derivados de cogumelos em uma fazenda orgânica de 20 acres, certificada pela USDA com casas de cultura, salas de limpeza e laboratórios de pesquisa. Ele também oferece seminários educacionais para micófilos e vende kits de cultivo de cogumelos e livros relacionados com cogumelos.

As técnicas que Stamets introduziu, para o cultivo de cogumelos comestíveis e medicinais, e os tornou disponíveis para um grande público, juntamente com seus livros e outras realizações, foram recentemente reconhecidos pela North American Mycological Association, que lhe presenteou com o seu Prêmio de Contribuições para Micologia em  2013.

No Laboratório da Fungi Perfecti, Stamets segura um cultura em reprodução de um cogumelo coletado em Mud Bay.

No Laboratório da Fungi Perfecti, Stamets segura um cultura em reprodução de um cogumelo coletado em Mud Bay.

É nos laboratórios da Fungi perfecti que Stamets, diretor de pesquisa da empresa, está fazendo muito do trabalho que ele fora orientado a fazer. Este é o lugar onde suas idéias inovadoras são gerados, através de experiências destinadas a encontrar soluções fúngicas para vários problemas, realizada com mais de 500 espécies de cogumelos e strainsque ele coletou em todo o mundo.

Em seu trabalho, ele tem por vezes, colaborado com outras organizações, incluindo a Pacific Northwest National Laboratory para reduzir os danos de derramamentos de petróleo com “cogumelos ostra”, e do Centro de Pesquisa Bastyr Integrative Oncologypara estudar um tratamento de câncer com base em fungos. No Bastyr, um ensaio clínico foi realizado para examinar o uso de um derivado do cogumelo “Turkey tail mushroom”, fornecidos por Stamets, para impulsionar o sistema imunológico de pacientes com câncer de mama submetidas à quimioterapia. Em uma palestra do TEDMED que Stamets deu em 2011, ele contou a história da dramática recuperação de sua mãe de 83 anos de idade, em estágio 4 de câncer de mama depois de usar o mesmo cogumelo utilizado no ensaio, em combinação com o Herceptin, uma droga quimioterápica. Agora aos 88, ela está livre do câncer.

Enquanto o mundo enfrenta as mudanças climáticas e sua sexta grande extinção, Stamets acredita que a maior tarefa da humanidade é “compreender a linguagem da natureza” para evitar maior destruição. Ele também acredita que as antigas florestas ameaçadas do noroeste do Pacífico, que abrigam muitas espécies ancestrais de fungos, precisam ser protegidos por uma questão de defesa nacional. E ele já elaborara uma lista de estratégias micologicas para proteger o planeta, que inclui a criação de centros comunitários de cultivo de cogumelos e bibliotecas de cultura genômicas para preservar o patrimônio fúngico da Terra para as gerações futuras, além de usar os cogumelos e os micélios para produzir alimentos e medicamentos, filtros de água para patógenos, e aprimoramento das práticas agrícolas.

paulAo olhar mais de perto para uma área do mundo natural que muitas pessoas na história moderna costumavam ignorar ou desprezar, Stamets aprendeu a entender o que ele chama de “a linguagem da natureza das redes de fungos que se comunicam com um ecossistema.” Através da exploração e engenhosidade , ele recrutou o reino dos fungos como aliados para trazer à consciência os diversos usos restauradores dos cogumelos.

Seu trabalho lhe rendeu um doutorado honorário, prêmios, estima, e, mais recentemente, um lugar na aula inaugural do AAAS-Lemelson Invention Ambassadors, um grupo de sete “criadores e descobridores, solucionadores de problemas, e percursores da inovação” selecionado pela maior e mais prestigiada sociedade científica do mundo, a Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS). Durante a nomeação de um ano, por meio de uma série de palestras, ele vai ajudar a promover a compreensão do papel que os cientistas desempenham para ajudar a sociedade através da invenção, criação de produtos, e a construção de negócios. Suas palestras, disse ele, serão uma “ponte para trazer a ciência para o público.”

Para Stamets, promover a compreensão dos poderes curativos dos cogumelos é imensamente importante. “Se eu puder ajudar a avançar esse conhecimento“, disse ele, “eu fiz a minha parte para proteger a vida neste planeta.”

Traduzido a partir do artigo original da The Evergreen State College Magazine

Posts Relacionados

“6 maneiras para salvar o mundo com cogumelos”
(uma palestra de Paul Stamets)

Obtenha mais conteúdo como esse

Inscreva-se em nossa newsteller e receba os novos posts em seu email!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *