NBOMes: Problemas Psicodélicos Potentes

Julhol de 2013
Originalmente Publicado em Erowid Extracts #24

nbome_article1-1Nós geralmente nos encontramos recebendo pedidos de não publicar sobre uma nova planta ou composto psicoativo. As vezes é um crítico que pensa que glorificamos seu uso. Outras vezes é um advogado que acredita que estamos enfatizando muito os riscos de saúde. Pode ser alguém expressando preocupação que a informação pública sobre uma droga vá afetar suas chances de ser utilizada para fins terapêuticos, ou organizadores de festivais preocupados que mencionar novas drogas disponíveis em eventos pode atrair atenção legal. Nós continuamos convencidos que uma informação aberta, honesta e completa deve estar acessível para as drogas que chegam às mãos do público.

Um improcedente de 233 novas drogas recreativas foram identificadas pelo Centro Europeu de Monitoramento de Drogas e Vício nos últimos cinco anos. Enquanto que a última onda inclui primariamente estimulantes eufóricos e canabinóides sintéticos, os compostos NBOMe se tornaram os psicodélicos definitivos de 2013. Porque eles são fortemente ativos com doses menores que 1 mg, são relativamente fáceis de sintetizar, e tem efeito e duração semelhante ao LSD, eles parecem estar tomando o lugar do LSD em uma porção significativa de cartelas vendidas esse ano. E como sempre, isso causa confusão entre a mídia e agentes da lei, que falsamente acusam o LSD pelos incidentes de saúde envolvendo NBOMe.

Básico

Os mais populares dos NBOMes são o 25I-NBOMe (25I), 25C-NBOMe (25C) e 25B-NBOMe (25B). Eles são todos derivados da N-Benzil-Oxi-Metila (portanto “NBOMe”) de fenitilaminas anteriormente conhecidas como 2C-I e 2C-B. Um anel extra na estrutura ligada ao químico de origem resulta em um aumento de 10-20x na potência assim como mudanças nos efeitos causados.
Depois da descoberta por Ralf Heim em 2003, o laboratório do Dr. David Nichols na Universidade de Purdue pesquisou as relações estrutura-atividade dos NBOMes. Os compostos apareceram primeiro nos mercados recreativos em 2010, e tinha se tornado popular o suficiente para ser mencionado na edição de Junho de 2011 de Erowid Extracts. Até Dezembro de 2012, os compostos NBOMe tinham atraído tanta atenção dos agentes da lei que a DEA publicou uma “caracterização” analítica.
“25I não é 2C-I”: Existem 2 nomenclaturas principais pros compostos NBOMe. Se utilizar o modelo de nomenclatura de Alexander Shulgin, 25I-NBOMe e 25B-NBOMe seriam chamados 2C-I-NBOMe e 2C-B-NBOMe. Apesar disso, após uma notificação errônea da mídia de uma fatalidade causada por 25I-NBOMe sendo noticiada como causada por 2C-I, escolhemos regularizar todas as menções para 25I-NBOMe. Esperamos que isso acabe com a tendência entre usuários, repórteres e agentes da lei de encurtar o nome inapropriadamente.

Efeitos

Doses de 750 – 1000 microgramas (0,75 – 1 mg) de 25I ou 25C podem causar uma experiência psicodélica forte com efeitos rasamente comparáveis aos do LSD ou fenitilaminas 2C. Muitas pessoas dizem gostar dos efeitos, alguns até preferem 25I a LSD. A maioria das descrições que os NBOMes levam a uma introspecção menos complexa que a de LSD, mas produzem visuais fortes e efeitos sensoriais, com a expressão “olho de doce” ocasionalmente sendo usada. Assim como a maioria dos psicodélicos, algumas pessoas descrevem sentir náusea quando os efeitos começam.
Um dos efeitos mais preocupantes é a vasoconstrição, incluindo aumento da pressão sanguínea, suor periférico e câimbras. A vasoconstrição também é associada com altas doses de outras drogas, como LSD, bromo-dragonfly, anfetaminas e MDMA.
A duração do 25I é um pouco mais curta que do LSD em efeitos comparáveis. Se a duração normal de LSD é considerada 10-12 horas, a do 25I é em torno de 8-10 horas. Um número de usuários relata sentir menos estimulação prolongada após os efeitos primários terem passado que com LSD.

Formas

Os NBOMes foram primariamente vendidos como pó na sua forma freebase. Devido a debates sobre a biodisponibilidade oral dos compostos, tornou-se prática comum tomá-los bucalmente (presos na boca, sem engolir). Os fabricantes às vezes aplicavam um procedimento para “complexar” os NBOMes com “HPBCD” (uma molécula ciclodextrina de açúcar em formato de anel), que os ajuda a passar pelas membranas corporais. Muitas pessoas relatam que as formas complexadas com HPBCD são mais potentes que NBOMes não complexados. Devido a dificuldade de preparações bucais e orais, algumas pessoas escolheram utilizar NBOMe na forma líquida. Desde junho de 2013 ainda existe uma confusão substancial sobre a efetividade/potência das diferentes formas (freebase, sal de HCL, freebase complexada) e rotas de administração.

Reações Idiossincráticas

Um número de histórias sobre 25I e 25C indicam ou uma reação idiossincrática forte em algumas pessoas, ou um aumento pontudo, não-linear, na intensidade dos efeitos conforme aumenta a dose. Um indíviduo nos contou que lhe foi dado uma pequena garrafa de 25I-NBOMe líquido, escrito que era 500 ug (0,5 mg) por gota. Ele e dois amigos decidiram testar, dois tomaram uma gota e um deles tomou três gotas. Aqueles que tomaram uma gota gostaram da experiência, tiveram boas memórias e disseram que fariam de novo. O terceiro, depois de três gotas, se tornou incoerente e frenético, então saiu da casa e dirigiu para longe no seu carro. Ele bateu em uma árvore e acordou no hospital dois dias depois sem memória de nada que aconteceu depois que os efeitos começaram. Há numerosas histórias de pessoas tendo delírios em doses acima de 1,5 mg de 25I e 25C, apesar de ter também histórias de pessoas tomando mais de 2 mg e não se sentindo impressionado pelos efeitos.

Sydney Newspaper, by Mark Pesce In early June 2013, Henry Kwan took something he believed was LSD and later jumped to his death from a third floor balcony in Sydney, Australia. Two newspapers carried it as front page stories the next day, with one proclaiming "boy "'thought he could fly'", in clear reference to past media treatments of LSD-related deaths. Both papers indicated LSD was not likely involved, with the Sydney Morning Herald stating it was either 25B- or 25I-NBOMe.

Sydney Newspaper, by Mark Pesce
In early June 2013, Henry Kwan took something he believed was LSD and later jumped to his death from a third floor balcony in Sydney, Australia. Two newspapers carried it as front page stories the next day, with one proclaiming “boy “‘thought he could fly'”, in clear reference to past media treatments of LSD-related deaths. Both papers indicated LSD was not likely involved, with the Sydney Morning Herald stating it was either 25B- or 25I-NBOMe.

Roleta Russa de cartelas, desenhos e simbolos

Depois do sucesso da DEA em romper a distribuição mundial de LSD no começo dos anos 2000, ácido se tornou incrivelmente raro. De acordo com a pesquisa Monitorando o Futuro de 2011, o uso de LSD por jovens de 18 anos no ano anterior caiu de 8,1% em 1999 para 1,9% após uma década. Isso criou uma abertura para outros psicodélicos super potentes serem depositados em papel de cartela. Às vezes os compradores são informados corretamente sobre a identidade da droga, mas geralmente é vendido falsamente como “ácido” ou até mais especificamente como “LSD”. Como um contribuidor do Erowid disse “cartelas de papel são um jeito fácil e prático de distribuir 500 microgramas de um químico. O que você acha que vende mais, cartelas vendidas como ‘25I-NBOMe’ ou cartelas vendidas como ‘ácido’?” Essa continua sendo uma tendência famosa de substituir uma droga por outra menos conhecida, assim com o clássico exemplo de LSD sendo vendido como “mescalina”.
FOTO: Jornal de Sydney, por Mark Pesce.
No início de junho de 2013, Henry Kwan tomou algo que ele acreditava ser LSD e depois pulou para sua morte de uma sacada no terceiro andar de um prédio em Sydney, Austrália. Dois jornais colocaram isso como primeira página no dia seguinte, com um deles dizendo “garoto ‘achou que conseguia voar’”, em uma referência clara aos tratamentos anteriores de mortes relacionadas à LSD. Ambos os jornais indicavam que o LSD provavelmente não estava envolvido nisso, com o Sydney Morning Herald dizendo que foi ou 25B- ou 25I-NBOMe.
Antes de 2013, outras drogas tinham sido encontradas em cartelas, mas nenhuma delas ocupou tanto o mercado quanto o 25I ocupa hoje. Entre 2007 e 2010, bromo-dragonfly (um psicodélico relacionado às fenitilaminas) apareceu em cartelas, e foi notícia quando causou algumas mortes nos EUA e Europa. Mas ele só foi vendido como LSD um curto período de tempo, parcialmente devido à impopular duração de seu efeito (substancialmente mais longo que o LSD), e por seu processo de síntese ser tecnicamente difícil. DOB, DOI e DOC também apareceram em cartelas nos últimos 40 anos, mas eles nunca foram muito comuns, e devido a ser necessária uma dose maior, eles geralmente eram colocados em papéis maiores que o padrão.
Uma diferença detectável entre LSD e os compostos NBOMe encontrados em cartelas é o gosto. Cartelas de LSD genuíno ou não tem gosto ou tem um gosto levemente metálico, enquanto a maioria das pessoas descreve um amargo intenso quando colocam papéis de 25I ou 25C na boca. Isso é geralmente porque uma dose dessas contem de 5 a 10 vezes mais químico. O gosto amargo levou alguns distribuidores a adicionar sabores de menta ou frutas para NBOMe líquido e em cartelas.
25I-NBOMe e 25C-NBOMe ganharam popularidade nos últimos 3 anos devido em parte à facilidade que um único grama pode ser mandado internacionalmente. Drogas super potentes, ativas a doses de menos de um miligrama, atravessam a alfândega com mais facilidade. Uma dose (750 microgramas) é do tamanho de seis grãos pequenos de sal. O material evaporado deixado numa mancha causada por um copo no vidro pode pesar um miligrama. Um grão grande de sal pode pesar até 5 miligramas. Isso significa que uma pequena cápsula pode conter centenas de doses de um químico como 25I-NBOMe e um pacote do tamanho de uma lata de refrigerante pode conter mais de cem mil doses.
Essa rara potência alta faz com que overdoses aconteçam mais. Infelizmente, os riscos de altas doses de 25I (e talvez outros NBOMes) incluem delírios, comportamento perigoso (com alguns acidentes resultando em mortes), assim como a possibilidade de morte diretamente pelos efeitos farmacológicos. Doses perigosas podem ser tão baixas quanto 3-5 miligramas. É uma acusação poética da Guerra às Drogas que o LSD, o primeiro psicodélico sintético, demonizado por décadas e o alvo de operações policiais caríssimas, parece ser bem mais seguro que seus substitutos.

Manuseie com cuidado

Uma grande quantidade de 25I e 25C é vendida aos usuários finais como um pó puro, o que cria uma situação inerentemente perigosa. A maioria das pessoas (especialmente experimentadores de 16 a 25 anos de idade) não sabe os procedimentos de segurança necessários para manusear químicos super potentes. Pesar e manusear compostos puros super potentes como LSD e 25I-NBOMe deve ser feito utilizando proteção para os olhos, luvas e uma máscara. Mesmo assim, essas precauções raramente são seguidas.
Talvez o maior risco da disponibilidade de puro pó de NBOMe é confundir um pó branco com outro, ou simplesmente não entender a diferença entre uma droga psicodélica e uma droga estimulante ou outras. Muitas pessoas têm experiências anteriores cheirando pequenas linhas ou doses de um psicodélico ou estimulante. É um fenômeno razoavelmente novo que a mesma quantidade pequena de droga pode levar à morte. Mais de uma das mortes documentadas de 25I ou 25C foram devido a cheirar 10 vezes ou mais a dose apropriada.

Mídia dizendo que “as mortes são causadas por LSD”

Um aspecto agravante da venda de 25I e 25C como ácido é que a mídia desinformada e fontes governamentais reportaram várias mortes como sendo relacionadas à LSD. Esses relatos raramente levam em consideração que essencialmente não existem mortes causadas pelo efeito farmacológico do LSD, e geralmente não tem nenhuma menção que outras substâncias poderiam estar envolvidas.
Depois de uma morte que culparam o LSD em março de 2013, Jacob Sullum de Reason.com escreveu um artigo fazendo piada dos repórteres e promotores, e apontando que a revisão mais recente de mortes causadas por LSD na literatura (Passie ET al 2008) concluiu que houve zero mortes documentadas claramente relacionadas a uma overdose de LSD.

nbome_article1-3Na natureza

Desde 1 de julho de 2013 nosso projeto de testes EcstasyData analisou quatro amostras contendo compostos NBOMe. Erowid recebeu 314 relatos de uso de NBOMe: 5 em 2010, 35 em 2011, 148 em 2012 e 126 nos primeiros 6 meses de 2013. Bluelight, um fórum de discussão sobre drogas, tem mais de 8000 postagens contendo a palavra “NBOMe”. O mercado negro digital Silk Road tem 241 resultados para produtos NBOMe, a maior parte em cartelas, alguns “complexados” como freebase e outros como sal HCl.
Os preços do Silk Road para o pó puro de 25I, 25C e 25B-NBOMe atualmente variam de $90 a $200 o grama. As listagens mais problemáticas são vendedores com cartelas que pedem para serem revendidas como ácido: quadrados pequenos perfurados em cartelas de 100 doses com imagens do tipo a viagem de bicicleta de Albert Hoffman e o Yellow Submarine dos Beatles, junto com outras imagens do passado. Um vendedor diz “cada quadrado é do tamanho de doses de ácido, sem grandes papéis”. Outro oferece doses supostamente contendo 1 miligrama de 25I e 1 miligrama de 25B-NBOMe cada! Doses variam de 500 microgramas a 2 miligramas por dose de quadrado pequeno, com a maior parte variando em torno de 1 miligrama. No Silk Road, cartelas de LSD são de 5 a 10 vezes mais caras que as cartelas de NBOMe.

NBOMes e a lei

Os NBOMes estão começando a ser controlados legalmente. O primeiro banimento que sabemos foi na Rússia em outubro de 2011, e o segundo foi no estado da Virginia em abril de 2012. Na primeira metade de 2013, Arkansas, Flórida, Louisiana, Israel e o Reino Unido todos passaram algum tipo de controle criminoso.
Nos últimos 50 anos, foi demonstrado que criminalizar uma droga popular irá resultar em novas substâncias para substituir, e as vendas mudam de fontes legais ou semi-legais para os mercados negros. De acordo com o Relatório Mundial de Drogas de 2013, feito pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, “assim que uma substância entra pra lista de controladas, outra a substitui, dificultando então os estudos no impacto em longo prazo do efeito da substância na saúde.” A proibição de psicodélicos, empatógenos e estimulantes previamente criados levou à distribuição em massa do 25I-NBOMe. Nisso começa a questão, “o que vai proceder se controlarmos o 25I-NBOMe?”

Gosto levemente amargo do futuro

Os NBOMes são precursores das coisas que virão. Os problemas e dificuldades que eles demonstram são problemas que a atual estrutura regulatória proibicionista vai naturalmente continuar a gerar. Por exemplo, novos psicoativos em desenvolvimento são relatados como 10 vezes mais potentes, com 10.000 doses por grama.

O novo modelo da Nova Zelândia

A melhor esperança no horizonte para parar com esse ciclo recorrente de criminalização e desenvolvimento de novas drogas vem da Nova Zelândia. Um novo “Projeto de lei de Substâncias Psicoativas” foi desenvolvido por meio de uma colaboração entre o Ministério de Saúde da Nova Zelândia, agentes da lei, e Stargate International, uma organização de redução de danos que começou como um distribuidor de “baratos legais”. Se for implementada como esperado, essa lei não precedente irá criar uma estrutura em que vendedores serão permitidos de distribuir produtos contendo substâncias ainda não controladas e usadas recreativamente, para aqueles com 18 anos de idade ou mais. Será exigido que os vendedores paguem uma taxa inicial de registro, demonstrem a segurança básica de seus produtos e monitorarem reações adversas após o início das vendas.

nbome_article1-4

25I-NBOMe a venda na Silk Road

Como Matt Bowden (fundador da Stargate International) descreveu no início de 2012, enquanto esse projeto de lei estava sendo escrito, medicamentos com a intenção de tratar uma doença devem atender um padrão maior que esses baratos legais: eles devem mostrar que são tanto seguros quanto efetivos ao tratamento de certa doença. Para as drogas “sociais”, a definição de efetivo é simplesmente se as pessoas gostam de tomar a droga, essencialmente eliminando o passo custoso de provar efetividade. As primeiras drogas a serem aprovadas por esse novo projeto de lei terão que ser mais seguras que outras drogas usadas recreativamente (um padrão substancialmente mais baixo para a “segurança” do que é requerido para medicamentos comprados sem receita). O custo do teste para demonstrar o nível de segurança de cada droga é em torno de um milhão de dólares.
Esse modelo está chamando atenção de outros países também. Um relatório do Conselho de Oficiais de Saúde da Columbia Britânica (Canadá), Perspectivas de Saúde Pública para Regulamentar Substâncias Psicoativas, discute a direção que a Nova Zelândia está tomando e nota “proibir uma substância manda a mensagem de desaprovação social do uso, […] mas o valor de usar a proibição para mandar uma mensagem de dissuadir o uso deve ser comparado com as consequências prejudiciais de se implementar a proibição, e a utilidade de outros métodos que sejam menos prejudiciais ao individuo que a criminalização.”
Tudo indica que o Projeto de Lei de Substâncias Psicoativas da Nova Zelândia será aprovado entre meio e fim de 2013, após o qual serão finalizadas as regulações específicas. Alguns dos críticos mais cínicos da Guerra as Drogas expressão dúvidas que isso vai representar real mudança, mas nós do centro Erowid nos mantemos esperançosos, com a visão que essa é a reforma na política de drogas mais emocionante e progressiva acontecendo no mundo.

Referências

  1. Passie T, Halpern JH, Stichtenoth DO, et al. “The Pharmacology of Lysergic Acid Diethylamide: A Review“. CNS Neurosci Ther. 2008;14(4):295-314.

Agradecemos imensamente a tradução feita pela colaboradora Raphaela Lancellotti.
Seja você também um colaborador, entre em contato:

equipemundocogumelo@gmail.com

Obtenha mais conteúdo como esse

Inscreva-se em nossa newsteller e receba os novos posts em seu email!

3 respostas
  1. Matheus
    Matheus says:

    Se eu tomar um 1/4 de um nbome, oque de ruim pode acontecer ? (Não sei se qual nbome é)
    Os efeitos serão médios ? Por quanto tempo dura os efeitos? Corre risco de morte/convulsão?

    Responder
    • Heitor
      Heitor says:

      Irmão, vou te deixar uma resposta baseada nas minhas experiências.
      O primeiro contato que tive com doce (NBOMe/LSD – mas achar LSD de verdade no Brasil é achar uma agulha num palheiro, então conte como só NBOMe mesmo) foi com um quarto também. Foi bem tranquilo, cerca de uma hora depois de ter derretido na boca, me veio uma sensação de paz muito grande, como nunca havia sentido. Fiquei olhando pro céu. Fumei um porque é de lei né? hahahha e ri exageradamente acima do normal. Muito mesmo. Nesta ocasião não vi nenhum padrão de cores ou sonoro. Foi bem tranquilo mesmo. Tive leves estímulos como vontade de correr (bem light mesmo) e fiquei a noite toda acordado ahahahah. Só isso.
      De qualquer forma, nunca tome nada sozinho pela primeira vez. Tenha cuidado, evite misturar bastante coisa.
      A brisa depende muito de como você está no momento, então esteja num lugar legal, pensando coisas legais e se sentindo muito bem pra tomar.
      Lembre que toda brisa é passageira. Abração, paz!

      Responder
    • Alexandre
      Alexandre says:

      Matheus, toda droga utilizada pode ter efeitos adversos, mesmo que em doses recomendadas ou até menores. O que deve ser levado em consideração é o estado de saúde atual, que pode ser analisado através de exames médicos (que devem ser feitos periodicamente). Caso haja qualquer patologia, o uso não é recomendado e altamente contra-indicado, já que pode vir a causar danos à saúde, principalmente se os problemas forem no coração, pulmão, rins, fígado, etc., bem como qualquer enfermidade psiquiátrica.

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − catorze =