Evolução Psicodélica – Terence Mckenna

Trecho do vídeo “Psychedelics in The Age of Intelligent Machines” – palestra realizada em Seattle, em 1999.

O etnobotânico Terence McKenna explica brevemente como o cogumelo Stropharia cubensis pode ter influenciado o desenvolvimento espantoso do cérebro humano no período de transição entre os primatas superiores e a nossa atual espécie. Sua teoria é descrita em maiores detalhes no livro “O Alimento dos Deuses“.

Nas pradarias africanas, onde estima-se que se deu nosso processo evolutivo, também se proliferavam várias espécies de animais ungulados, dos quais o esterco é o ambiente ideal para a ocorrência de cogumelos coprófilos. Um dos comportamentos dos primatas insectívoros, como éramos nós algum dia, é investigar os velhos estercos de vaca em busca de grupos de insetos. Nesses mesmos estercos brotam suculentos cogumelos, muitos deles contendo psilocibina. O Stropharia cubensis é pandêmico, ocorrendo em todas as regiões tropicais onde existe gado.. Quais seriam os impactos de uma química tão extraordinária na dieta dos primatas em evolução? A psilocibina possui características singulares, que a fazem um pefeito candidado para disparar muitos dos processos que nos diferenciam dos primatas superiores.

>


>

Posts Relacionados

Obtenha mais conteúdo como esse

Inscreva-se em nossa newsteller e receba os novos posts em seu email!

4 respostas
  1. yutaa
    yutaa says:

    Nosso “padrinho”, Tio McKenna. Que os deuses o tenham.
    Pra conhecer minimamente Mckenna tem que estar a par dessa incrível teoria.

    Posso linká-los no meu espaço?
    abraços!
    lars

    Responder
  2. Annonymous
    Annonymous says:

    Grande Mckenna, sábias palavras.

    Sou psicólogo e como minha área está profundamente ligada com a consciência, o trabalho de vcs é muito útil.

    vai aqui uma dica pra quem curte os trabalhos do T. Mckenna, no site http://www.estantevirtual.com, existem várias edições de livros do Mckenna, como Alucinações Reais, e Retorno a Cultura Arcaica.

    nas próprias palavras de Terence: “O que nós somos é uma imagem vacilante de nós mesmos, e o que nós seremos será o desespero da prosa. O que nós realmente seremos só pode ser abordado na escuridão silenciosa sob o efeito de 5 gramas de cogumelos”

    grande abraço

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − treze =