Efeitos da Psilocibina da Comunicação Cerebral

shrooms_brainOs cogumelos mágicos contêm psilocibina, uma substância que faz com que os usuários experimentem experiências assustadoras, e talvez esclarecedoras. Um novo estudo revelou que a psilocibina produz essas fantásticas experiências, alterando a forma como o cérebro se comunica com ele mesmo.

Pesquisadores da King’s College no Reino Unido usaram ressonância magnética funcional (fMRI em inglês) para tirar imagens do cérebro de dois grupos de participantes: indivíduos que receberam uma dose de 2 mg de psilocibina, e aqueles que receberam um placebo.

A atividade cerebral segue geralmente vias neurais específicas, e os exames mostraram inicialmente aumento da atividade aleatória em todo o cérebro. A equipe olhou mais de perto para o que parecia ser a atividade cerebral esporádica e descobriram que a substância estava realmente formando diferentes conexões no cérebro, e depois que a substância se foi, a atividade do cérebro voltou ao normal.

Os resultados, publicados no Journal of the Royal Society, sugerem que novas conexões permitam que as partes do cérebro que não costumam falar um com o outro,  se comuniquem. Estes percursos alterados podem desencadear uma experiência como ver sons ou cheirar cores.

Imagine a informação em seu cérebro sendo compartilhada em um sistema interligado e com um sistema de rodovias de tráfico pesado, diz Eric Brodwin do Business Insider. “Nesse exemplo, a psilocibina não é a remoção das rodovias. Em vez disso, ela simplesmente constrói novas.

 

image

Visualização das conexões cerebrais: Em um cerebro de uma pessoa sob nenhum efeito (a) (esquerda) e uma pessoa sob efeito da psilocibina (b) (à direita)

 

Esta nova visão do que a psilocibina faz para o cérebro podem ajudar a explicar anos de descobertas anteriores sobre os efeitos psicológicos da psilocibina, incluindo como os cogumelos mágicos parecem reduzir os sintomas de depressão. Estudos anteriores mostraram que a droga pode aumentar o otimismo, melhorar a saúde psicológica, e até mesmo ajudar uma pessoa a parar de fumar.

Em um estudo de 2012, Imperial College London neurocientista David Nutt descobriu que em pessoas sob efeito da psilocibina, a  comunicação cerebral nas áreas tradicionais do cérebro fora silenciada, inclusive em uma região que se pensava desempenhar um papel na manutenção nosso senso de self. Em pessoas deprimidas, Nutt acredita, que as conexões entre os circuitos cerebrais nessa região sensode-si são fortes demais. “As pessoas que entram em pensamento depressivo, seus cérebros são sobrecarregados de conexões”, disse Nutt à “Psichology Today”. Pensamentos e sentimentos de auto-crítica negativa se tornam obsessivos e avassaladores. Dissolver essas conexões e criar novoa, acredita Nutt, pode proporcionar alívio intenso.

Psicólogos da Johns Hopkins chegaram a conclusões semelhantes quando induziram experiências fora do corpo, em um pequeno grupo de voluntários com doses de psilocibina. Imediatamente após as sessões, os participantes disseram que se sentiam mais abertos, mais imaginativos e mais capazes de apreciar a beleza. Quando os investigadores entrevistaram os voluntários, um ano depois, quase dois terços disseram que a experiência tinha sido uma das mais importantes em suas vidas.

Nick Fernandez, um ex paciente de câncer e estudante de pós-graduação de psicologia que tomou psilocibina como parte de um estudo da Universidade de Nova York, experimentou esses mesmos sentimentos de liberdade e positividade.

“Pela primeira vez na minha vida, eu me senti como se houvesse uma força maior do que eu“, disse Fernandez Aeon Magazine. Algo dentro de mim estalou e eu experimentei uma mudança que me fez perceber que todas as minhas ansiedades, defesas e inseguranças não eram algo com que se preocupar.”

bc0a345b63bebf92aac3e6df8ed2725aFonte : SienceAlert / BusinessInsider

Obtenha mais conteúdo como esse

Inscreva-se em nossa newsteller e receba os novos posts em seu email!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − treze =